Próximas eleições: Parlamento Europeu

Acompanha-nos

Votar contra a diminuição da População do meu Concelho

Partilhe :

Existem muitos concelhos que, desde 1980, perderam metade da população.

  • Qual será o legado que os idosos querem deixar para os seus netos?
  • O que é que os jovens querem para o seu futuro?

O que é que estas gerações vão fazer para contrariar o desaparecimento da sua região?

Pode ser o seu principal critério de voto

Um dos critérios de decisão de voto, pode ser o facto do seu concelho estar a perder população, e o partido ou movimento local, mesmo que excelente autarca, não ter conseguido contrariar essa tendência.

Olhando para o mapa abaixo, o mal da perda de população do interior é geral, e por isso pode-se questionar se as regras do jogo e o investimento estão a ser justas.

1 – Escolher o Candidato com o melhor programa e capacidade de executar

Existem candidatos incriveis e alguns dos atuais presidentes têm feito um bom trabalho. E por isso, neste contexto a escolha do candidato obriga a análise de algumas propostas que contribuem para a atração da população. 

A atração está associada ao desenvolvimento económico, competitividade fiscal, melhoria das condições para os clusters da região (normalmente agricultura).

Podem existir programas e estratégias para captar grandes investimentos. Talvez  com diplomacia económica, oferta de espaço,…

Mas também  podem existir programas para desenvolver o pequeno empreendedorismo sustentável.

Pensamos que alguns paliativos, como “cheques afixação” não constituem fatores de afixação duráveis. 

2 – Mas também pode votar por protesto, cartão amarelo

Quem define as regras gerais de um maior ou menor desenvolvimento do interior são precisamente os partidos do Poder Central.

E esses são os partidos que detêm o poder local no interior.

mapa das eleições autarquicas 2017

Esses partidos definiram as formas de financiamento das autarquias, definem o maior ou menos investimento no interior, definem as portagens das SCUT. Enfim, existem mais dificuldades em viver no interior do que no litoral.

Os autarcas do interior estarão a lutar contra a maré.

E por isso, mesmo sendo PS ou PSD, a sua opção será um cartão amarelo. Um grito de alerta aos governantes.

A abstenção é o mesmo que votar no PS e no PSD. A metade  dos portugueses que não vota, está a duplicar as listas vencedoras (quase sempre o PS e o PSD).

Isso implica escolher o voto numa das alternativas (cabeças de lista): Bloco de Esquerda, CDS, CDU,  CHEGA, Iniciativa Liberal, LIVRE, MPT-PDR, Movimentos Independentes,  VOLT.

Campanhas autárquicas  2021 do PS e PSD estão a ser fofinhas para o interior

Na ocasião da elaboração deste artigo começaram a aparecer as promessas der um passo á frente no apoio ao interior.

Mas a prudência leva a questionar quantos passos atrás estão a ser ocultados.  

Sem deixar de ser socialista ou social democrata, a ideia é só fazer as pazes depois de se verem resultados em todo interior.

Candidatar-me seria pactuar com o ato de abandono do Poder Central em relação a toda esta região do Pinhal Interior, a que se assiste há décadas, e que se mostra imperdoável depois dos trágicos acontecimentos de 2017.

Valdemar Alves, num comunicado enviado à agência Lusa. Tweet

O que achou deste artigo?

Democratiza-te
Ao subscrever está aceitar a nossa Politica de Privacidade